Avançar para o conteúdo

Quantas vezes deve o meu cão tomar banho?

A frequência ideal de banhos em cães pode variar de cão para cão. Geralmente, os banhos devem ser dados mensalmente, mas a frequência dos banhos depende de:

  • Tipo de pêlo;
  • Exposição ao exterior;
  • Patologias dermatológicas.

Embora muitas pessoas gostem de estabelecer regras gerais para o banho dos patudos, é importante ter em conta que nenhum pet é igual ao outro. E isso em relação tanto às suas características físicas quanto aos seus hábitos no dia a dia.

Um animal que fica mais dentro de casa, por exemplo, tende a ficar menos sujo que um que permanece no quintal, passeia bastante ou frequenta alguma creche canina ou day care.

Escovagem

A frequência com que os tutores conseguem escovar em casa influencia bastante o estado do pêlo e as condições gerais de higiene do animal. A escovagem diária é essencial para remover pêlo morto, poeira e células mortas do pêlo, o que reduz bastante o mau cheiro e combate a queda do pêlo. Nas raças de pêlo comprido ou encaracolado, a escovagem diária é também fundamental para a remoção de nós, permitindo que a pelagem se mantenha mais longa e saudável durante muito mais tempo, reduzindo assim a necessidade de banhos e de cortes muito curtos.

Em suma, uma pelagem que é escovada regularmente terá menos sujidade acumulada, logo a frequência óptima de banhos para a manutenção de pele e pêlo saudáveis também será menor.

Banho em excesso, mito ou realidade?

Embora possam tomar banhos com bastante frequência, banhos em demasia podem prejudicar o seu melhor amigo.

Entre os principais problemas está o fato de que as lavagens em excesso removem a camada de gordura que naturalmente protege a pele dos animais, deixando-os mais expostos a fungos e alergias. Além disso, a remoção dessa camada também elimina bactérias ligadas ao bom funcionamento do sistema imunitário dos cães. Sem ela, eles ficam mais suscetíveis a doenças.

Aliás, este fato também se aplica aos melhores amigos dos animais: os Humanos também podem sofrer complicações dermatológicas exagerarem na quantidade de banhos.

E no Inverno?

E quando chega o frio? Devo diminuir a frequência dos banhos?

Se por um lado quando chove os animais tem tendência a ficar sujos mais rapidamente, aumentando com isso a necessidade dos banhos, é preciso ter em conta o bem estar geral do animal. Naturalmente nos dias mais frios de inverno os animais sentem-se mais desconfortáveis com um banho, mesmo com água morna e temperatura controlada no espaço. É importante que o banho demore o mínimo e tempo possível para minimizar o desconforto.

A secagem é uma etapa muito importante no processo do banho! É necessário garantir que os animais não permanecem muito tempo ensopados e que a secagem é rápida e eficaz. Secar com uma toalha não é suficiente e os secadores domésticos não são os mais indicados para secar o pêlo do seu animal, e podem até causar queimaduras na pele se não manuseados corretamente. Devido à sua fraca potencia, estes também não tem um fluxo de ar potente que seque o pêlo em tempo adequado. 

Na Pet7 usamos produtos naturais adequados a cada tipo de pele e pelo, temos água quentinha para o banho, temperatura do espaço controlada e utilizamos equipamento de secagem profissional que garante o mínimo de tempo possível de exposição ao secador e aos ruídos.


Em alternativa aos banhos tradicionais, podemos sempre recorrer a um banho com champô seco. Com um banho seco consegue-se aumentar o intervalo entre banhos. Peça-nos informações sobre os nossos champôs secos, 100% naturais, vegan e adaptados para diferentes tipos de pêlo.

Na Pet7 encontra profissionais especialistas

Não hesite em contactar caso tenha alguma dúvida sobre como melhor tratar do seu melhor amigo de quatro patas, utilize o número 926 715 787, o email geral@pet7.pt ou através das nossas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.